Gosto de fugir de conversas difíceis. Gosto de não ter ninguém a ocupar-me o coração. Gosto deste espaço todo, deste espaço só para mim. Gosto de o atravessar sozinha, mesmo tendo (ainda) lacunas fundas. Gosto de abrir os braços e de não chocar em nada. Gosto do eco que da minha voz - é a resposta da tua ausência, ainda está aqui. Mas gosto dele, tornou-se forte e maciço. Não se parte. Já ninguém me parte o coração, porque simplesmente ninguém o ocupa. É fácil. Mas é um jogo difícil. Quando se tem o sonho de ter alguém para sim, desistir dói. Mas partir o coração dói mais. É tudo um jogo. E eu estipulei as minhas regras. No meu coração ninguém entra, é o meu espaço, o meu escudo e a minha protecção. Ele tem apenas que bater. Enquanto ele bater está tudo bem. Mas olha: obrigada. Agora está tudo bem. Está quase tudo a terminar. Ou então isto ainda é só a primeira fase de muitas. Um dia aprendo a amar. Cheguei a pensar que sabias, e dizia a mim mesma, se tu tinhas essa capacidade eu também conseguiria, mas cheguei à conclusão que nenhum dos dois sabia. Nunca nenhum dos dois soube, Mas fica a saber: ainda gosto muito de ti. Vou sempre gostar muito de ti.



3 comentários:

Deixem as vossas opiniões :)