Hoje digo-te o que nunca pensei em dizer a mais ninguém: hoje tenho o coração nas mãos, prestes a partir-se (novamente), e agora por ti. Tu, que desde há tantos meses tens sido o meu ponto de abrigo, e a minha base. Digo-te a ti, porque foste tu, o merecedor do meu coração. Algo que nunca pensei em doar a mais ninguém, como tu bem sabes. Mas és tu. O rapaz dos olhos bonitos, e de sorriso perfeito. És tu que mantens a minha mão segura, e o corpo quente. O que me garante sem dúvida, a mais fiável e perfeita designação de protecção.
Não te posso dizer nada. Nem sei se isto é certo. Nunca foi. Secalhar o nunca, que se veio intrometer entre nós, é mesmo o nosso maior e mais complicado obstáculo que alguma vez se intrometeu no nosso caminho. Aquele que (ainda) não fomos capaz de ultrapassar. Será que algum dia o derrubaremos?
Gosto do teu cheiro. Gosto do teu sorriso. Gosto ainda mais dos teus abraços e das tuas mãos. Gosto da nossa história, e da forma como ela evoluiu. Gosto da tua forma de falar, e do som do teu riso. Gosto quando me dizes que nada nos pode abalar nem destruir. Irónico é sermos nós a destruir-nos a nós próprios.
Não te quero dizer adeus, e muito menos dizer que acabou. Para nós não haverá nunca um fim propriamente dito.
Não tenho sido a pessoa mais correcta para ti, tenho noção disso. Hoje ainda consigo ver a barreira de protecção que ergui sobre mim, o escudo que me salva guarda o meu frágil coração. Desculpa se é demasiado expesso. Jurei que não haveria mais ninguém a quebrar-me o mais frágil orgão que possuo, mas hoje, hoje já não posso afirmar isso. Consegues tudo. Tudo o que queres. E com isto, não quero dizer que a tua intenção seja magoar-me. Sei bem que não é.
Mas hoje está a ser um dia no mínimo difícil. Estar sem ti, é como estar sem comer durante longas horas. Não mata, mas não estou satisfeita.
Gosto imenso de ti, e isso é inegável. Estúpida é esta forma de te demonstrar o quanto gosto. Enfim, somos assim difíceis, sempre o fomos e sempre o seremos.
Não sei o que te diga, sinceramente, espero apenas que esta, não seja uma carta de despedida.

1 comentário:

Deixem as vossas opiniões :)