Porquê que és tão único em tudo o que fazes? Porquê seres o único que me toca bem no fundo, que me coloca lágrimas na cara, que me magoa e machuca vezes e vezes sem conta? Porquê que és o único que em momentos me faz odiar tudo, tudo e todos (incluindo tu mesmo) ?
Mesmo nos momentos em que te odiava, eu não reclamava, e sabes porque não o fazia? Porque tinha medo que partisses de vez.
E agora, quando me dói, agora quando sinto o coração completamente quebrado, estilhaçado aos meus olhos, tu ainda és o único em que eu sei que por mais que me doa a mim, eu vou lá estar sempre para ti. Vou querer estar sempre perto de ti, vou sempre ansiar pelo teu toque, pelo teu cheiro. Vou querer sempre um carinho, passear abraçada a ti e, não vou poder.
Antes desejava que chovesse muito, só para te poder proteger de cada gota, antes queria ficar acordada, só para te ver dormir. Antes queria-te dentro de mim.
Mas sabes que mais? Eu não quero ter um coração partido.
Ainda hoje me pergunto: porquê que o início foi tão distinto e o fim não veio para recompensar? Hoje foste o meu ponto de abrigo que me fugiu entre as pontas dos dedos.
Agora fazes-me gritar que te odeio. Mas sabes que não é essa a verdade, sabes que isso é a minha parte fútil e mimada a falar. Mas deixa-me apenas dizer: eu não te quero amar.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixem as vossas opiniões :)