Ensinaste-me tanto. Aprendi tanto contigo, aprendi o antes e o após, os prós e os contras, as vantagens e as desvantagens. Aprendi a lidar com as consequências dos meus e dos teus actos. Aprendi a viver o após um dia de cada vez, abraçando todas as vantagens que ele me podesse proporcionar.
Tu realmente ensinaste-me muito. Contigo aprendi a amar, a amar de verdade. Aprendi a amar sem um beijo de bom dia, sem um abraço quando mais precisava. Aprendi a amar de coração aberto, aprendi a confiar, a confiar em frases feitas. A confiar cegamente. Aprendi também que amar é sofrer em silêncio, é deixar de ter vida própria para nos entregar-mos de corpo e alma ao outro. Eu fi-lo, tu não. Eu amei cegamente e, tu não. Eu tive de sobreviver sem um beijo ou um abraço e, tu não aguentas-te. Eu abri-te o coração e, tu partis-te-mo. Machucas-te-o como uma folha de papel. Largas-te-o numa rua deserta deixando-o 'voar'. Como se voar fosse algo realmente bom. Como se a voar podesse desfazer qualquer elo de ligação, como se a voar se podesse esquecer. Voar nem sempre é sinónimo de liberdade. E foste tu que mo ensinas-te. Voar é apenas, não querer aceitar, é só uma ilusão que queremos acreditar piamente. Ainda voo tanto. O meu coração ainda não está pronto para voltar a terra firme.
O meu coração já não é o mesmo. Ainda está machucado, muito machucado, além disso, tem cicatrizes, tantas cicatrizes. Foste tu que as crias-te. Com a tua própria consciência.
Amar não é só a entrega, amar não é só e apenas ser feliz, amar vai para além de qualquer limite. Amar não é consentir, mesmo estando contra, amar não é um apoio mutuo, amar não são as lágrimas derramadas em silêncio. Aprende-se que companhia não é necessariamente segurança, que beijos são acessórios e não contratos de amor eterno.
Amar não é só amar. Amar vai muito para além de qualquer definição. Tal como dizer a uma criança que os sonhos não fazem sentido, assim é amar. Amar é viver um sonho, um sonho sentido, porque os sonhos por vezes também são reais.
Tu nunca te esforças-te para deslindar a palavra amar. Mas certo é, que tu cultivas o terreno do amanhã, um terreno incerto e cheio de dúvidas. Preferes caminhar de cabeça baixa, de orgulho ferido e por caminhos mais faceís. Levas com as consequências e, descartas-as como habitualmente fazes. Descartas demasiado. É certo que tu não queres saber onde já chegas-te, queres apenas saber para onde vais.
Um dia perceberás que toda essa tua caminhada não te trazerá nada de novo, vives numa rotina tão delimitada que nem tu próprio a consegues quebrar.
Eu continuo a voar. O que nos distingue é, que eu sei que o tempo não pára. Não importa que tenha o coração partido, o mundo não irá parar e esperar que eu o conserte. Eu já aprendi que o tempo não é algo que volte atrás. Enquanto tu, preferes manter-te em terra, vagueando sem rumo definido. Eu ainda te sigo. Mas não quero caminhar a teu lado, os prós e os contra, as vantagens e desvantagens impedem-mo de o o fazer.
Todos aprendemos com os nossos erros, eu já aprendi com os meus. E tu? Quando darás conta dos teus próprios erros?



(pois bem, eu não quero saber para onde vou, se não vieres comigo. Não te quero descartar, nem a ti nem ás consequências que tenho que sofrer. Claro que sofro com os teus actos, tal como sofres com os meus, mas é certo que é sempre contigo que passo os melhores momentos da minha vida. Não levo todos uns dias um beijo ou um abraço, tens razão, mas todos os dias me ensinas que uma relacção tem mais do que isso, que vai muito para além disso, tem confiança e sinceridade, respeito e assim sim somos felizes. Não somos perfeitos, e para além disso a nossa relacção está muito longe de ser estável, e estes contra balanços não me dão confiança que chegue, mas sabes que mais? Eu estou disposto a ir no contra balanço, desde que esteja contigo. No fundo tudo se resume a ti.)


1 comentário:

  1. Eles ensinam-nos sempre muito. Se isso não se tivesse passado, tu saberias o que era sofrer? Saberias o que era amar alguém e acabar por sofrer? Saberias sequer o que era ter que suster as lágrimas quando o coração quase que explodia? Nós aprendemos e crescemos, à medida que a nossa vida passa. Os dias acabam por passar e nós não nos damos conta, e só nestas alturas, é que sabemos, e dizemos: FOGO, EU MUDEI TANTO!é assim que tem de ser, é assim que é sempre. Não é só comigo ou contigo, é com toda a gente. Mais cedo ou mais tarde, todos acabam por passar pelo mesmo. Uns apenas o demonstram menos.
    quero-te bem, estás a ouvir? quero-te com a cabeça levantada. Não te importes com esse teu coração magoado. Ele está magoado, é certo, mas quanto mais pensares nisso, mais ele dói. Não há nada melhor que os amigos para acalmarem essa dor. Ela acaba por desaparecer. Um dia, acabas por te esquecer do quanto isso te doeu. A vida é feita disto minha pequena, e se estamos cá, e se elas nos acontecem, é porque o nosso amigo lá de cima, sabe que somos suficientemente fortes para ultrapassar, e para chegar ao fim, e podermos dizer: VENCI! . é isso que vais gritar um dia, e é isso grito que eu vou ouvir cá em cima. és linda, e espero que essa dor passe realmente e que estejas bem!
    amo-te e quero-te sempre comigo, sim? (L)

    ResponderEliminar

Deixem as vossas opiniões :)